segunda-feira, setembro 17, 2018

“Homens de Deus precisam fazer parte da vida política”, incentiva pastor

 Hernandes Dias Lopes defende que político é servo de Deus e diácono do povo
A maioria de nós está decepcionada com a classe política brasileira. A corrupção ganhou proporção endêmica e sistêmica”, diz Hernandes Dias Lopes em suas redes sociais. “Parece-nos que todos os três poderes foram fermentados pelo levedo da corrupção”, comenta.

Segundo o reverendo, é por isso que dizem que “uma pessoa honesta não entra em política” ou “todo político é corrupto”. “Será que essa é a melhor postura que deveríamos ter?”, questiona.

Por isso que a coisa é séria”

 

É a arte de bem governar. Se entendermos que pessoas íntegras não devem entrar na política, será ocupada então por aqueles que são maus: os corruptos, avarentos, os que querem dinheiro apenas pra si e não pra servir ao povo”, justifica.

Parafraseando Martin Luther King: “O que mais me preocupa não é o grito dos maus, mas o silêncio dos bons”.

Nós precisamos entender que homens de Deus precisam fazer parte da vida política e influenciar o seu meio”, comenta e cita José do Egito, que governou um grande império e salvou o mundo de uma crise de fome.

Políticos dos tempos bíblicos

 

Você tem também o Daniel, que influenciou a política da Babilônia e também do império medo-persa”, citou.

Depois falou do “governador Neemias” que restaurou Jerusalém. “No caos, precisamos de pessoas que tenham vida irrepreensível”, disse.

O político é um servo de Deus e um diácono do povo. É aquele que foi eleito pelo povo para servir o povo e não para ‘se servir’ do povo”, finaliza.

        

Nenhum comentário:

Destaque

O fascismo da esquerda hipócrita

Com o título “O fascismo da esquerda hipócrita”, eis artigo de Catarina Rochamonte, doutora em Filosofia e professora da Uece. Ela bate...