sexta-feira, agosto 31, 2018

Ex-tesoureiro do PROS afirma que Ciro participava do recebimento de propina no Ceará

Segundo Niomar Calazans, nada é feito no Estado sem conhecimento do presidenciável


A revista Veja chegou às bancas, nesta sexta-feira (31), trazendo entrevista bombástica com o ex-tesoureiro nacional do PROS Niomar Calazans. Ele afirma que o presidenciável Ciro Gomes (PDT) tem envolvimento em um esquema de extorsão contra empresários no Ceará. A maracutaia deve ser investigada pela Lava Jato. Talvez por isso o pedetista tenha dito que o Ministério Público e o Judiciário precisam voltar para a caixinha.

Ciro sabia e participava, com certeza”, declara Niomar, ex-primeiro-tesoureiro do Pros, partido ao qual Ciro Gomes e seu irmão Cid foram filiados entre 2013 e 2015. Em entrevista exclusiva à Veja, Calazans conta que o esquema de extorsão era usado por Ciro e seu grupo para financiar campanhas eleitorais. Ele também diz que os FGs pagaram 2 milhões de reais para “comprar” o controle do Pros durante as eleições de 2014 no Ceará. Na época, Ciro Gomes era filiado ao Pros, e o diretório estadual era presidido por Danilo Serpa, seu afilhado político e chefe de gabinete do então governador cearense Cid Gomes.

Além da já conhecida propina paga pela JBS para o ex-governador Cid, a revista traz indícios de que os FGs também teriam recebido benefícios da Grendene, Paquetá Calçados e Bermas Maracanaú. O esquema era simples: as empresas recebiam dinheiro em créditos do governo e, posteriormente, doavam dinheiro para o PROS.

Infográfico da Veja

Via Cearánews7

Nenhum comentário:

Destaque

Bolsonaro tem 59% dos antipetistas

Jair Bolsonaro tem 59% dos votos entre os antipetistas, diz o Ibope. A taxa era de apenas 41% na véspera do atentado contra ele. De a...