quarta-feira, junho 13, 2018

Ficar ao lado de Lupi pode fazer mal à saúde eleitoral de Ciro

 Delator apontou que o presidente do PDT recebia mesada de R$ 100 mil oriunda do esquema de Sérgio Cabral.

Aparecer ao lado do presidente nacional do seu próprio partido, o PDT, passou a ser um desconforto para Ciro Gomes. Em plena edição do Jornal Nacional da noite que de terça-feira, Carlos Lupi foi apontado como destinatário de uma mesada de R$ 100 mil oriunda do esquema de corrupção relacionado ao ex-governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral.

Segundo O Globo desta quarta-feira, o delator Carlos Miranda, apontado pela Justiça como operador do esquema, relatou que, em 2012, recebeu a ordem, de Wilson Carlos, então secretário de governo na gestão de Cabral, “para fazer pagamentos mensais de R$ 100 mil ao PDT por meio de Carlos Lupi, presidente nacional do partido desde 2004”.

Mais: “Carlos Miranda disse que pagava para uma pessoa conhecida como ‘Senhor Loureiro’, que seria tesoureiro do PDT, e que as entregas eram feitas na sede do partido pelos funcionários do doleiro Renato Chebar. Os pagamentos teriam sido feitos de 2012 até março de 2014. À TV Globo, Carlos Lupi e o PDT afirmaram que nunca tiveram nenhum tipo de relação com o delator e que jamais receberam qualquer tipo de vantagem”.



Nenhum comentário:

Destaque

O fascismo da esquerda hipócrita

Com o título “O fascismo da esquerda hipócrita”, eis artigo de Catarina Rochamonte, doutora em Filosofia e professora da Uece. Ela bate...