quarta-feira, janeiro 31, 2018

O primeiro de vários artigos sobre dispensacionalismo



Inicialmente elaborada por John Nelson Darby[1], o dispensacionalismo é um sistema teológico que apresenta duas distinções básicas: (1) Uma interpretação consistentemente literal das Escrituras, em particular da profecia bíblica, vista em várias séries de "dispensações" de Deus na história e a (2) A distinção entre Israel e a Igreja no programa de Deus.

A teologia dispensacionalista acredita que há dois povos distintos de Deus: Israel e a Igreja. Os dispensacionalistas acreditam que a salvação foi sempre pela fé (Em Deus no Velho Testamento; especificamente em Deus o Filho no Novo Testamento).

 Os dispensacionalistas afirmam que a Igreja não substituiu Israel no programa de Deus e que as promessas do Velho Testamento a Israel não foram transferidas para a Igreja. Eles creem que as promessas que Deus fez a Israel no Velho Testamento serão cumpridas no período de 1000 anos de que fala Apocalipse 20. Eles creem que da mesma forma que Deus concentra sua atenção na igreja nesta era, Ele novamente, no futuro, concentrará Sua atenção em Israel (Romanos 9-11). A maioria dos dispensacionalistas são contra acordos de paz, pois segundo eles, só adiaria o inevitável que é a volta de Jesus.[2]

Usando como base este sistema, os dispensacionalistas entendem que a Bíblia seja organizada em sete dispensações: Inocência (Gênesis 1:1 - Gênesis 3:7), Consciência (Gênesis 3:8- Gênesis 8:22), Governo Humano (Gênesis 9:1Gênesis 11:32), Promessa (Gênesis 12:1Êxodo 19:25), Lei (Êxodo 20:1Atos 2:4), Graça (Atos 2:4Apocalipse 20:3) e o Reino Milenar (Apocalipse 20:4Apocalipse 20:6). Mais uma vez, estas dispensações não são caminhos para a salvação, mas maneiras pelas quais Deus interage com o homem. O dispensacionalismo, como um sistema, resulta em uma interpretação pré-milenar da Segunda Vinda de Cristo, e geralmente uma interpretação pré-tribulacional do arrebatamento.

Das sete dispensações, cinco já foram concluídas: inocência consciência, governo humano, patriarcal e lei, e estaríamos vivendo a dispensação da graça que dará lugar a milenial. Dois grandes eventos marcarão o fim desta dispensação: o arrebatamento da igreja e a volta visível de Jesus para inaugurar o milênio. 

Fonte: Wikipédia, com edição e formatação de texto Luís Augusto 

Nenhum comentário:

Destaque

O fascismo da esquerda hipócrita

Com o título “O fascismo da esquerda hipócrita”, eis artigo de Catarina Rochamonte, doutora em Filosofia e professora da Uece. Ela bate...