terça-feira, agosto 15, 2017

Violência continua amedrontando os cearenses


 E foram divulgadas as estatísticas da Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social do Estado do Ceará (SSPDS) referentes ao mês de julho. Mais uma vez chamam a atenção os números pavorosos dos denominados Crimes Violentos Letais e Intencionais (CVLIs):
# No mês de julho, foram computados 475 homicídios, um aumento de 86,2% em relação ao mesmo período de 2016;

# Em maio, junho e julho, foram contabilizados 1.420 assassinatos. Uma cifra resultante da soma de uma sequência lastimável de três recordes funestos, que superou em 80,2% o igual trimestre de 2016.

# No ano, de janeiro a julho, foram registrados 2.774 óbitos por crimes violentos, 38,8% acima dos 1.998 anotados em igual período em 2016.

Infelizmente, os resultados apresentados reafirmam as projeções sombrias estimadas no artigo original ora "compartilhado" e expõem uma realidade nefanda. São números que denunciam uma carnificina hedionda e descrevem uma tragédia intolerável que se agrava a cada dia.

Novamente, o anúncio oficial não descortina nenhum horizonte para otimismo. Crescem a matança e o medo na população; diminuem as esperanças por dias mais tranquilos e a confiança nas autoridades; mantém-se a imagem de impotência e a tibieza do Poder Público. Não só a sociedade refém sabe disso, mas os criminosos sobretudo.


Por José Carlos Magalhães Martins
via Facebook 

Nenhum comentário: