quinta-feira, abril 13, 2017

PSDB e PMDB perdem mais em nova fase da Lava Jato.

 A nova fase da Lava Jato está apenas começando e já caiu como uma bomba no meio político. A lista de Fachin atinge os principais partidos. Mostra uma corrupção multipartidária. A Lava Jato entra numa nova fase, na qual fere quase todo o sistema político, que, com o tempo, vai tentar encontrar forças para reagir contra a operação.

No entanto, mais de um terço do Senado estará sob investigação. Quase um terço do ministério de Temer responderá a inquéritos no Supremo. Carreiras políticas deverão ser enterradas. Há potencial para paralisar o Congresso e ameaçar o plano de reformas trabalhista e previdenciária do governo Temer.

No fim da tarde, o presidente Michel Temer disse a interlocutores que será preciso aguardar os desdobramentos das acusações específicas contra seus ministros e os principais aliados no Congresso, como os presidentes da Câmara, Rodrigo Maia, e do Senado, Eunício Oliveira.

Como muitos políticos são atingidos numa tacada só, haverá uma tentativa dos ministros de se segurar nos cargos, apesar do desgaste que o fim do sigilo provocará.

Obviamente, essa nova fase da Lava Jato tirará força do governo e dificultará ainda mais a votação de medidas no Congresso. O maior desafio do presidente será evitar a paralisia da sua administração e também das votações na Câmara e no Senado. E isso vai depender de quais políticos resistirão a essa primeira bateria de acusações agora que elas são públicas e detalhadas.

Neste momento, perdem mais o PMDB e o PSDB, porque são os dois principais partidos que apoiam o governo Temer.

Dois tucanos que tinham planos presidenciais para 2018, os senadores Aécio Neves e José Serra, responderão a graves acusações de corrupção. Além de três governadores investigados no Supremo, outros comandantes de Estados, como o tucano Geraldo Alckmin, de São Paulo, enfrentarão investigações no STJ, o Superior Tribunal de Justiça.

O sistema político tradicional sofre como um todo, mas quem está no governo tem mais a perder. Os ex-presidentes Lula e Dilma ainda vão penar muito com revelações das delações da Odebrech. Mas o PT já saiu do poder. Agora, caciques petistas dizem que o partido não pode mais ser acusado de pai da corrupção no Brasil.


Fonte: Blog do Kennedy Alencar | SBT Brasil

Nenhum comentário:

Destaque

RÁDIO. O veículo "sem fio" espera bater recorde domingo

O rádio espera repetir no domingo, dia 28, os picos de audiência registrados durante o domingo de eleições do primeiro turno em todo...