quarta-feira, março 15, 2017

Quem disse que existe homofobia por aqui?

 OS TERRÍVEIS NÚMEROS DO MAPA DA VIOLÊNCIA DO ANO DE 2016: É de estarrecer e o quadro fica mais assustador quando se comparam os dados de um ano com os dados de outros anos.  Importante destacar que o mapa da violência do ano de 2016 utiliza os dados do ano de 2014. Assim como em 2017 usarão os dados de 2015, isto é, o mapa de determinado ano, sempre utiliza os dados de mortes de dois anos atrás. Vamos a alguns números do Estado do Ceará e comparando o tempo todo com o Brasil (dados do Atlas da Violência 2016, estudo do IPEA e do Fórum Brasileiro de Segurança Pública):


I-  59.629 pessoas foram assassinadas no Brasil no ano de 2014. Número maior que na maioria dos países em guerra no mundo nos dias atuais. No Ceará, no ano de 2014, foram assassinadas 4.620 pessoas. O que equivale a um crescimento de 166% a mais de homicídios, quando comparado o número de homicídios ocorridos no ano de 2004. Na guerra entre cearenses, morre mais gente por ano, que na Faixa de Gaza, onde há uma guerra entre israelenses e palestinos;

II - Fortaleza é a segunda microrregião mais violenta do Brasil... há mais duas microrregiões no Ceará que estão entre as mais violentas do país: Pacajus e Baixo Jaguaribe;

III- No Ceará, no ano de 2004, mataram 829 jovens com idade entre 15 e 29 anos de idade. Em 2014 o número subiu para 2.832 homicídios de jovens entre 15 e 29 anos. Essa é a faixa etária  mais vitimada por essa verdadeira guerra civil.  Correspondem a 61% do total das vítimas. A JUVENTUDE ESTÁ SENDO CASSADA;

IV- Uma pessoa de cor negra ou parda tem 147% mais chance de ser morta nesse mar de sangue, que uma pessoa de cor branca;

V- 4.757 mulheres foram assassinadas no Brasil no ano de 2014 (inclui todas as mulheres, não apenas as mulheres vitimadas por violência doméstica), enquanto no mesmo ano 54.872 homens foram assassinados. O total de homens mortos, entre o total de vítimas, é de 92%. Em cada 100 homicídios, 8 são de mulheres e 92 de homens. Um homem tem 11% mais de chance de ser assassinado que uma mulher.

 No Ceará. Em 2004, foram assassinadas 123 mulheres em terras cearenses. Tal número subiu para 284 mulheres mortas em 2014;

VI- O número de mulheres mortas, por conta da violência doméstica, teve no geral, desde a criação da Lei Maria da Penha, um aumento de 11%. Portanto, por enquanto, a Lei Maria da Penha é um fracasso, até porque não foram tomadas as próprias medidas previstas na lei, sobretudo no campo preventivo;

VII- A maioria das vítimas, de forma absoluta, em alguns casos chegam a 76% dos mortos, tiveram suas mortes causadas por arma de fogo. O que se aplica também ao Ceará;

VIII- 10% dos total de homicídios no mundo, ocorrem em solo brasileiro, isto é, brasileiro, matando brasileiros;

IX- Entre janeiro de 2008 a março de 2014 foram mortos 604 pessoas, travestis e transexuais, o que faz do Brasil um dos países em que mais se matam travestis, segundo estudo da Transgender Europe;

X- No Ceará no ano de 2016, foram mortos 15 membros da comunidade LGBT (lésbicas, gays, bissexuais, trans) desse número, cerca de 42% são trans, isto é, 4 pessoas assassinadas, dentre as vítimas, 03 travestis em 2016.



(Com Valdecy Alves)

Nenhum comentário: