segunda-feira, fevereiro 20, 2017

BASE DE TEMER QUER MELAR REFORMA DA PREVIDÊNCIA

Alessandro Molon (Rede-RJ) defende retirada do projeto

A base de Michel Temer tem dado mostras de que vai esticar a corda na reforma da Previdência. Capitaneada por Paulinho da Força (SD-SP), uma das principais emendas que serão apresentadas ao texto — que desfigura o projeto do Planalto e flexibiliza a regra de transição — recebeu apoio de importantes partidos aliados do governo. Mais da metade da bancada do DEM e cerca de um quinto dos deputados do PMDB endossaram a proposta. No centrão, PP, PR e PTB assinaram em peso.

 
Já Paulinho da Força (SD-SP) sugere mudanças na PEC

Mais disciplinado, o PSDB fez que deu de ombros. Nem dez tucanos foram favoráveis à emenda.

Embora isso não queira dizer que os deputados aprovarão a flexibilização, a simpatia da base à proposta é um termômetro de que o governo terá dificuldades para aprovar a reforma.

Diferentemente do que aconteceu na votação do teto de gastos públicos, os dirigentes partidários estão menos propensos a fechar questão e obrigar seus deputados a votar pela reforma da Previdência.

Como quem não quer nada, um ministro de Temer decidiu desenhar um cenário de como ficaria o país se não passarem as mudanças na Previdência. Comparou ao estado de calamidade que vive o Rio hoje.



(Painel - Folha de S.Paulo)

Nenhum comentário: