quinta-feira, fevereiro 23, 2017

Anistia Internacional denuncia violência e perda de direitos na era Temer

 Novo relatório da Anistia Internacional, "Os Estados dos Direitos Humanos no Mundo", publicado nesta quarta-feira (22), alerta para as altas taxas de homicídio no Brasil, principalmente cometidos por violência policial, ressaltando casos ocorridos entre 2015 e 2016; além disso, chama a atenção para a perda de direitos de algumas minorias, especialmente jovens negros, desde a posse do governo Temer, em 2016; "O que vimos em 2016 foi o desmantelamento de estruturas institucionais e programas que garantiam a proteção a direitos previamente conquistados e a omissão do Estado em relação a temas críticos, como a segurança pública. 
 
Os dados do documento mostram que o número de pessoas mortas pela polícia no Rio antes das Olimpíadas, entre abril e junho, foi 103% maior do que em 2015, o que testemunha a desvalorização do jovem negro, favelado, e lideranças rurais. Pelo menos 47 representantes foram mortos de janeiro a setembro de 2016. 

Segundo o comunicado da Anistia, "o Estado brasileiro tem falhado duplamente em seu papel de garantir o direito à vida de todas as pessoas". 
 
Nenhuma crise -política, econômica ou institucional, pode ser usada como justificativa para a perda de direitos", declarou a diretora-executiva da Anistia Internacional no Brasil, Jurema Werneck.


Com o 247

Nenhum comentário: