quinta-feira, setembro 08, 2016

Energia deve ficar 7,7% mais cara no ano que vem

Após aumentos exorbitantes ao longo de 2015, em decorrência da falta de chuvas e reajustes não repassados pelo governo no ano anterior, a energia elétrica deve voltar a acompanhar de perto a inflação do País em 2017, pelo menos é o que projeta o Comitê de Política Monetária (Copom). De acordo com a Ata da 201ª reunião, divulgada ontem pelo Banco Central (BC), a conta de luz dos brasileiros deve subir 7,7% no ano que vem, bem mais próximo do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) projetado para o fechamento deste ano, de 7,3%.


Segundo a Ata do Copom, para 2017 já se considera variação de 5,8% no conjunto de preços administrados em geral, 0,5 ponto percentual acima do valor projetado na última reunião do Comitê. A revisão deve-se, principalmente, às projeções para aumento de tarifas de energia elétrica e ônibus urbano, que também deve ter avanço de 6,8%.

Para o presidente da Câmara Setorial de Energias Renováveis do Ceará e consultor de energia da Fiec, Jurandir Picanço, o aumento projetado para a conta de luz no ano que vem não foge da realidade inflacionária do País. "O setor possui custos ligados à inflação, então é normal que a alta acompanhe o IPCA.


DN

Nenhum comentário:

Destaque

André diz que PT foi “irresponsável e safado” ao afirmar que PDT pediu cargos para apoiar Haddad

 "O PDT não exigiu nem sequer a vaga de porteiro da garagem do Palácio do Planalto para declarar apoio crítico", disse o ped...