quinta-feira, setembro 29, 2016

DO JORNALISTA ROBERTO MOREIRA EM RELAÇÃO A COMPRA DE VOTOS


Na periferia e no sertão é comum a dona de casa levantar de manhã, por volta das 5 horas, e
ir direto para a cozinha fazer o café da família e encontrar uma caixa de fósforo com
um “peixe” ou uma “onça” dentro, isso no dia da eleição. O peixe é uma nota de cem e a
onça uma de 50 reais. O dinheiro é de acordo com o tamanho da família.

Quem contou essa história foi um poeta paraibano, mas esse tipo de prática deve se estender por vários estados brasileiros. As pessoas depois reclamam que só tem ladrão na política. Quem compra voto, rouba,com certeza.



Nenhum comentário: