sexta-feira, julho 01, 2016

A PARTIR DESTA SEXTA (1º) ESTÁ PROIBIDA A PROPAGANDA PARTIDÁRIA GRATUITA

 A partir do dia 1º de julho não poderá ser veiculada a propaganda partidária gratuita nem será permitido nenhum tipo de propaganda política paga no rádio e na televisão. É o que a Lei das Eleições (Lei 9504/1997) e o calendário eleitoral deste ano determinam. 

A propaganda partidária tem por finalidade divulgar, pelo rádio e pela televisão, assuntos de interesse das agremiações partidárias, de acordo com a Lei dos Partidos Políticos (Lei 9096/1995). 

Esse tipo de propaganda tem por objetivos difundir e transmitir mensagens aos filiados sobre a execução dos programas partidários, dos eventos a eles relacionados e das atividades congressuais do partido; divulgar a posição do partido em relação a temas político-comunitário; e promover e difundir a participação política feminina, dedicando às mulheres o tempo que será fixado pelo órgão nacional de direção partidária, observado o mínimo de 10%. 

Outras proibições 

Ainda de acordo com a legislação, as emissoras de rádio e televisão não poderão transmitir, a partir desta data, em sua programação normal e nos noticiários, imagens de realização de pesquisa ou qualquer tipo de consulta popular de natureza eleitoral em que seja possível identificar o entrevistado ou que haja manipulação de dados. 

As emissoras também não poderão dar tratamento privilegiado a candidato, partido político ou coligação, bem como veicular ou divulgar filmes, novelas, minisséries ou qualquer outro programa com alusão ou crítica a candidato ou partido político, mesmo que dissimuladamente – exceto em programas jornalísticos ou debates políticos. 

A lei veda ainda a divulgação de nome de programa que se refira a candidato escolhido em convenção, ainda quando preexistente, inclusive se coincidente com o nome de candidato ou com a variação nominal por ele adotada.

Três policiais são mortos em Quixadá

 


Soldado Antônio Alves, sargento Guanabara e cabo Joel morreram em confronto com criminosos

Os policiais militares identificados como cabo Joel, soldado Antônio Alves e sargento Guanabara foram mortos no começo da noite de ontem ao tentar impedir assalto a carro-forte, no distrito de Juatama, em Quixadá (a 158 quilômetros de Fortaleza). A Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) confirmou a morte de três policiais, mas não especificou os nomes das vítimas. 



Conforme a SSPDS, no início da noite de ontem, dois policiais militares foram feitos reféns e liberados em seguida, sem ferimentos. Um quinto policial militar foi ferido na perna e encaminhado ao Instituto Doutor José Frota (IJF), em Fortaleza. 



A Polícia continua o cerco na região em busca dos criminosos. Um helicóptero da Ciopaer (Coordenadoria Integrada de Operações Aéreas) esteve na aérea e reforços de policiais também foram deslocados para o local, divulgou a SSPDS.



(O Povo)

Nenhum comentário: