quarta-feira, novembro 04, 2015

SETE EM CADA DEZ ELEITORES ''NÃO QUEREM SABER DE PARTIDOS POLÍTICOS'' DIZ DATAFOLHA




Pesquisa indica que desinteresse por siglas supera época dos protestos de 2013 e bate recorde.

O eleitor de São Paulo está descrente da política nacional: 71% dos eleitores dizem não ter preferência por qualquer um dos 35 partidos políticos do País. Trata-se de um recorde histórico da pesquisa, iniciada em 1985 com a redemocratização do Brasil. O número consta de pesquisa Instituto Datafolha, divulgada nesta terça-feira (3).

Antes disso, em julho de 2013, época das manifestações de rua pelo País, o Datafolha havia verificado o maior patamar de insatisfeitos com a política. No auge dos protestos, 70% dos paulistanos diziam não ter um partido político preferido.

A pesquisa mostra também que os dois partidos políticos que encabeçaram a disputa à Presidência da República nos últimos quatro pleitos também estão em queda na opinião das pessoas.

A simpatia dos paulistanos pelo PT é a menor desde 1989, quando o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva disputou sua primeira eleição à Presidência.

Segundo a pesquisa feita nos dias 28 e 29 de outubro, 11% dos eleitores da cidade disseram que o PT é seu partido preferido, contra 17% em fevereiro e 22% em dezembro de 2014.

O Datafolha enfatizou que o recorde de preferência do PT foi alcançado após a primeira eleição de Dilma Rousseff à Presidência, em 2010, e pouco antes dos protestos de junho de 2013, no mês de abril. Em ambas as ocasiões, 35% diziam preferir o PT.

O PSDB, por sua vez, não conseguiu capitalizar em cima do desgaste do PT, segundo o Datafolha. Agora, 10% disseram preferir os tucanos, contra 8% da pesquisa anterior. Porém, destaca o instituto, o PSDB já teve 13% da preferência em três ocasiões: abril de 2006, setembro de 2011 e junho de 2014.

Segundo o instituto, PT e PSDB estão empatados tecnicamente na preferência dos eleitores paulistanos, com ligeira vantagem dos petistas de um ponto percentual, mas dentro da margem de erro. A pesquisa ouviu 1.092 eleitores de São Paulo e tem margem de erro de três pontos percentuais para mais ou para menos.

R7

Nenhum comentário: