quinta-feira, agosto 27, 2015

AUDIÊNCIA PUBLICA. VIOLÊNCIA CONTRA COMUNICADORES É DISCUTIDA NA ASSEMBLEIA LEGISLATIVA

 Audiência Pública realizada na tarde desta quinta-feira, 26, na Assembleia Legislativa do Estado requerida pelo Deputado Ferreira Aragão para discutir a violência contra profissionais de imprensa, estiveram representantes de todo o estado bem como entidades representando os profissionais.

 O deputado Ferreira Aragão (PDT), requerente do debate, ressaltou que é preciso acabar com esse tipo de crimes, sob pena da situação se agravar ainda mais. Ele citou os nomes de sete profissionais da imprensa que foram assassinados nos últimos anos - cinco deles somente em 2015. Para o parlamentar, a liberdade tem que ser preservada e as denúncias fazem parte do trabalho dos profissionais de comunicação. 


Somente este ano foram executados cinco profissionais da comunicação no Ceará, durante o debate foi apresentado um documento do Ministério Público onde denuncia sete pessoas envolvidas no assassinato do radialista Gleydson Carvalho. Estiveram diversas entidades representando a classe, durante as argumentações os profissionais também participaram e mostraram a realidade hoje da comunicação no interior, As emissoras de rádio que pertencem a grupos políticos levando aos radialistas a estarem a serviço destes patrões.


  A Associação de Imprensa do Sertão Central (AISC), esteve presente com uma comitiva de cinco profissionais representando o Sertão Central. O Presidente Wanderley Barbosa fez parte da mesa e em seus pronunciamentos salientou as condições em que os profissionais do interior passam, já que nos municípios todos conhecem o radialista e qualquer matéria que venha contra a vontade principalmente dos políticos, são seciados com ameaças e chegando aos extremos como no caso do radialista Glaydson. “Quando se cala um comunicador, cala-se a sociedade” afirma o Wanderley Barbosa. 

Para o presidente da Comissão de Direitos Humanos, deputado José Ailton Brasil (PP), os profissionais de imprensa são fundamentais para a democracia por exercerem a fiscalização e a crítica. Segundo ele, se alguém se sentir caluniado ou difamado por um jornalista, deve buscar a reparação na Justiça.
 
Também estiveram presentes na audiência os deputados Sérgio Aguiar (Pros) e Ely Aguiar (PSDC); o representante do Comitê de Imprensa da Câmara dos Vereadores de Fortaleza, Alexandre Rangel; o representante dos radialistas do Interior do estado, Júnior Gonçalves.

Participaram ainda do debate os representantes das prefeituras de Granja e Senador Sá, além dos vereadores de Martinópole, Raimundo Nonato Fontenele; da Secretaria da Segurança Pública do Ceará, tenente-coronel Fernando Rocha; o presidente em exercício da Associação Profissional dos Cronistas Desportivos do Estado do Ceará, Nelson Oliveira; o representante do Sindicato dos Radialistas do Ceará, Dennis Luiz; e o representante da Associação Cearense dos Jornalistas do Ceará, João Ferreira.

A comitiva do Sertão Central; Wanderley Barbosa, Cleumio Pinto, Francisco Ferreira (Pio), Biro Belo  e Zandra.   



Nenhum comentário: