segunda-feira, agosto 24, 2015

Na tevê, Lula e Dilma falam da crise sem culpa


No Brasil atual, basta abrir um jornal ou uma carteira para dar de cara com a crise. Na noite deste sábado, dois dias depois de o IBGE informar que a taxa de desemprego bateu em 7,5% no mês de julho, o PT levou ao ar dois comerciais de trinta segundos. Num, Dilma Rousseff admite: “…muita coisa precisa melhorar.” Noutro, Lula reconhece: “…a situação não está fácil.”

Ambos prometem um Brasil próspero na virada da esquina. “Vamos voltar a crescer com todo o nosso potencial”, ela antevê. E ele: “Com o esforço e a luta de todos vamos controlar a inflação, gerar empregos e derrotar o pessimismo. Podem ter certeza. O Brasil vai voltar a crescer.”
Falta algo essencial às mensagens da criatura e do criador: um culpado. No poder há 13 anos, a dupla já não dispõe de um FHC para chutar sem cair no ridículo. E como não conseguem enxergar os responsáveis pela crise no espelho, Dilma e Lula soam cada vez mais desconexos.
O diabo é que não se chega ao arejamento sem uma boa autocrítica. Depois que confiou a Fazenda ao ex-diretor do Bradesco Joaquim Levy, Dilma deveria ter dito a si mesma: “Pô, nossa cartilha está ficando igual ao manual do tucanato. Por que é mesmo que a gente era contra o superávit fiscal?”

(Blog do Josias)

Nenhum comentário: