quarta-feira, março 11, 2015

Governo pede à CUT para cancelar manifestação da próxima sexta-feira



O governo pediu à Central Única dos Trabalhadores (CUT) para que cancelasse a manifestação da próxima sexta-feira. O ministro Miguel Rossetto (Secretaria-Geral-foto), a pedido da presidente Dilma Rousseff, se reuniu com dirigentes da CUT na segunda-feira e conversou por telefone pedindo "reiteradas vezes" a suspensão, para evitar que ela sirva de base para levar mais manifestantes contra o governo às ruas no dia 15, segundo relatou um ministro próximo à presidente.

Em nota, o ministro nega que tenha pedido para a CUT cancelar a manifestação.

Todas as minhas declarações públicas nos últimos dias foram no sentido de respeitar as manifestações democráticas da sociedade brasileira. A CUT é quem marca ou desmarca suas manifestações. Portanto, fui surpreendido e estou indignado com essa notícia”, diz o ministro.

Embora a operação do governo pelo cancelamento do evento da CUT não tenha prosperado, a central decidiu a reordenar o ato, deixando clara a defesa da presidente Dilma e da Petrobras.

Será muito ruim se os protestos da CUT levarem 500 pessoas para as ruas e as manifestações do dia 15 levarem milhares. Para efeito de comparação, será esmagador — disse um integrante do governo ao GLOBO.

Nenhum comentário: