quarta-feira, março 18, 2015

Cid se desculpa, mas critica viagem de deputados a hospital. Eduardo Cunha encerra sua fala

Eu sou parlamentarista e acho que quem é governo deve ter a responsabilidade com o governo e é isso o que induz o Parlamentarismo. Se não tem maioria, perde-se a eleição, muda-se o primeiro-ministro. Portanto, me perdoem… não quis agredir ninguém, muito menos a Instituição”, disse o ministro da Educação, Cid Gomes. Ele fez essa declaração durante sessão da Câmara, nesta tarde de quarta-feira. Pediu perdão se alguém vestiu a carapuça.

Cid Gomes ali foi convocado para dar explicações sobre frase de que na Câmara há “de 300 a 400 achacadores”.

O ministro da Educação fez questão de dizer que  nunca fugiu de suas responsabilidade. Explicou que não foi à Casa, na primeira convocação da Câmara, porque teve problemas sérios de sinusite, consequência de problemas com o clima nos EUA. Disse que estava à beira de uma pneumonia. Sobre a informação de que uma comissão de deputados iria ao Hospital Albert Einstein constatar se era verdade seu problema de saúde, pediu que a Casa apurasse a despesa da viagem dessa comissão até São Paulo.

O presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB/RJ), deu por encerrada a fala de Cid Gomes e pediu aos seguranças para que retirem do plenário quem não for parlamentar. Também informou que será dada vez aos líderes partidários a inquirir o ministro. Cunha aproveitou para adiantar que a viagem da comissão foi sem ônus para  Casa “que se dá ao respeito!”, numa indireta ao ministro.

Nenhum comentário: